Qualidade da água no cultivo de pérolas

Escrito em Postado em Aplicações Aquicultura, Deixe um comentário.

Por milhares de anos, muitas culturas reconheceram a beleza e o valor das pérolas. Historicamente, elas foram coletadas pesquisando várias espécies de bivalves marinhos e de água doce. As pérolas naturais são extremamente raras, encontradas em uma em cada 2.000 ostras. No início dos anos 1900, impulsionados pelo alto valor de pérolas naturais raras, pesquisadores japoneses desenvolveram métodos de aquicultura que deram aos humanos o controle da produção de pérolas. Essas pérolas, conhecidas como “pérolas cultivadas”, são comumente maiores e mais consistentes em tamanho e cor do que as pérolas naturais; para garantir a alta qualidade das pérolas produzidas, as técnicas de cultivo são altamente regulamentadas.

A mudança climática global impactou significativamente o cultivo de ostras. Ao aumentar os níveis de dióxido de carbono atmosférico, aumenta também a difusão desse gás na água, formando o ácido carbônico. Este aumento de acidez inibiu o crescimento de conchas em animais marinhos e é suspeito de ser a causa de distúrbios reprodutivos em peixes. Nos últimos 300 milhões de anos, o pH do oceano permaneceu constante em aproximadamente 8,2; Apenas nos últimos 200 anos, o pH do oceano caiu para 8,1 pH. Esta diminuição de 0,1 unidade não é tão insignificante quanto parece, uma vez que o pH é baseado em uma escala logarítmica, uma unidade de pH representa uma mudança de dez vezes na atividade do íon hidrogênio. Em um ecossistema tão sensível como o oceano, uma mudança de pH de 0,1 unidade tem consequências drásticas. Pequenas variações podem ocorrer em diferentes pontos ao longo do ano devido a ondas sazonais e gradientes naturais. O desenvolvimento de larvas de ostra é especialmente sensível a mudanças no pH, causando alta mortalidade nelas.

Por outro lado, o aumento da temperatura atmosférica também ocasionou um aumento na temperatura da superfície do mar. As águas mais quentes das lagoas diminuem o brilho e o valor final das pérolas. Além disso, o crescimento de parasitas é favorecido em temperaturas mais quentes. Essas águas também causam níveis mais baixos de oxigênio dissolvido nos oceanos e maior competição pela respiração entre organismos em uma lagoa. Um suprimento constante de oxigênio é importante para a saúde da ostra de peróla, tanto na água de cultivo quanto no transporte do animal.

Os níveis de oxigênio recomendados para ostras de pérola em tanques e contêineres de transporte estão acima de 5 mg/L. Para garantir que a demanda de oxigênio não seja maior em uma lagoa, recomendações de espaçamento e profundidade foram estabelecidas para ostras, e garantindo que elas recebam oxigênio e alimentos suficientes. Durante o transporte, como o volume de água e a quantidade de oxigênio disponível são baixos, os recipientes devem ser medidos e arejados com frequência para garantir níveis adequados de oxigênio. A mortalidade dos organismos também deve ser monitorada de perto; se um organismo morre e não é retirado do recipiente, o excesso de matéria orgânica se decompõe, consumindo oxigênio e produzindo toxinas que podem prejudicar ostras vivas.

Aplicação

A Hanna Instruments possui diversos equipamentos que permitem medir os parâmetros mais importantes da qualidade da água na cultura de pérolas, sendo eles: pH, temperatura e oxigênio dissolvido.

Um dos equipamentos mais recomendados para esta aplicação é o multiparâmetro HI98196. Este equipamento é portátil, permite a realização de medições tanto em tanques como em contêineres de transporte, possui um sistema de configuração simples e fácil de utilizar.

Existem vários fatores que podem afetar as leituras de oxigênio dissolvido, como pressão atmosférica, salinidade e temperatura, e é por isso que ele possui um barômetro integrado, compensação manual de salinidade e compensação automática de temperatura para resultados mais confiáveis.

A função de registro por intervalo é muito útil para medir mudanças nos níveis de oxigênio dissolvido e pH durante o cultivo e transporte. Ao medir o pH em vários locais ao longo do tempo, as áreas do tanque que são menos afetadas pelas variações sazonais do pH podem ser identificadas e, portanto, os melhores locais para o cultivo de larvas de ostra.

O HI98196 pode ser conectado a uma sonda de 20 ou de 40 m da Hanna Instruments que permitirá ao usuário obter um perfil completo da qualidade da coluna de água.

O equipamento tem proteção impermeável IP67 e pode suportar a imersão em água a uma profundidade de 1 m por no máximo 30 minutos, este recurso é muito útil para medições de qualidade da água neste tipo de culturas, pois irá prevenir danos aos componentes internos do equipamento.

As faixas de medição dos parâmetros do HI98196 são:

  • Faixa de pH de 0.00 a 14.00
  • Faixa de ORP de ± 2000.0 mV
  • Faixa de OD de 0,0 a 500,0 % de saturação ou 0,00 a 50,00 ppm (mg/L)

Saiba mais sobre o HI98196 aqui!

Siga-nos