Determinação de malatião através de espectrofotometria

Escrito em Postado em Agricultura e Hidroponia Boletins, Deixe um comentário.

Na agroindústria, além do fertilizante que fornece nutrientes ao solo para que o cultivo se desenvolva de maneira favorável, também são utilizados outros produtos químicos ou biológicos, como os agrotóxicos, substâncias destinadas a destruir, prevenir, repelir ou mitigar qualquer praga, que quando usado corretamente, proporciona um grande benefício aos produtores.

Esses produtos também são regulamentados pela ANVISA para garantir o mínimo de risco potencial para humanos, animais e meio ambiente. Os pesticidas podem ser usados ​​como herbicidas, fungicidas ou inseticidas. Os pesticidas podem ser classificados de acordo com a família química a que pertencem de acordo com sua composição química em: organofosforados, organoclorados, carbamatos e triazinas.

 Os inseticidas organofosforados são os mais usados ​​atualmente. Esse grupo de compostos, ao contrário dos organoclorados, não causa danos graves ao meio ambiente, pois são biodegradáveis. Os inseticidas organofosforados atuam por fosforilação de uma enzima de importância primordial no metabolismo do inseto. As enzimas desintoxicantes em mamíferos e nos próprios insetos são: carbóxi éster, oxidase e carboxiamidase; no entanto, em insetos, eles são muito ineficazes.

O malatião é um inseticida de amplo espectro, especialmente útil contra ácaros e outros parasitas e, desde seu lançamento na década de 1950, é um dos mais utilizados, podendo ser frequentemente encontrado em alimentos, embora com baixo índice de contaminação.

O malatião atua ligando-se a uma enzima que em condições normais se liga a um neurotransmissor, porém quando a enzima é ligada ao malatião em sua forma ativa se acumula no sistema nervoso e causa superestimulação deste, por isso é importante que os produtos cultivados não contenham vestígios superiores a 7 ppm, conforme reportado no codex Alimentarius, e uma vez adquiridos estes produtos devem ser bem lavados e desinfectados antes de serem consumidos.

Uma análise que pode ser realizada para determinar os vestígios deste pesticida que se encontra na superfície de uma fruta, onde é necessária apenas uma extração com tetracloreto de carbono e é submetido a hidrólise alcalina na presença de etanol para posterior formação de cor com o cátion Cu+2, que forma um complexo quelante de cor amarela, que é diretamente proporcional à concentração de malatião na amostra e pode ser medido por transmitância em um comprimento de onda de 416 nm.

Essa determinação pode ser feita por meio de um espectrofotômetro de luz visível como o HI801 que trabalha na faixa de 340 a 900 nm, em que todos os tipos de compostos que absorvem na faixa do espectro de luz visível podem ser medidos ou quantificados. Para isso, o equipamento dispõe de espaço para armazenar 100 métodos de usuários, podendo assim realizar determinações a qualquer momento que se deseje, já que a curva de calibração ou a equação para determinar as concentrações são armazenadas em cada um dos métodos criados.

Para completar, os métodos do usuário podem ser criados com até 5 comprimentos de onda e seus temporizadores.

Saiba mais sobre o HI801 IRIS aqui.

Siga-nos