Análises do teor de umidade em cremes labiais

Escrito em Postado em Aplicações Laboratório, Deixe um comentário.

Durante muitos anos as pessoas têm melhorado sua aparência fazendo uso de cosméticos. A importância que damos à aparência possui uma influência importante para a indústria global. Apenas nós, brasileiros, somos responsáveis por 8,6% do consumo mundial de cosméticos, segundo dados da Euromonitor de 2008.

Os países ocidentais hoje gastam mais em cosméticos por pessoa, apesar dos asiáticos estarem se aproximando muito rapidamente a esta tendência. Os cosméticos modernos são criados para melhor a aparência sem afetar funções normais do corpo. Devido a maior parte dos produtos serem aplicados diretamente sobre a pele, os ingredientes e suas composições são fortemente fiscalizados por agências regulatórias. Assim como é analisada a concentração de componentes num cosmético, sua umidade também é calculada, à fim de manter uma consistência adequada e facilitar sua aplicação, assim como para conservação do produto.

Aplicação

Um fabricante de cosméticos introduzia uma nova linha de produtos de sua marca, o qual requeria ampliar seus testes de controle de qualidade seguidos em seu laboratório. Este estava em busca de um equipamento para analisar o teor de água em matérias-primas e nos produtos finais, já que ambos são fortemente regulados pela Anvisa e outros órgãos, e a qualidade destes produtos afetam diretamente a consistência, aparência e aplicação do produto.

Foi recomendado o titulador volumétrico Karl Fischer HI903, pois os produtos cosméticos têm um teor de água relativamente alto. O cliente tinha um projeto para introduzir uma série de cremes para os lábios em sua linha de produtos, esperando medir aproximadamente 1% de teor de água nesses cremes. Já que os cremes labiais são compostos primordialmente por pigmentos suspensos em óleo, as amostras eram ligeiramente solúveis em metanol.

O representante Hanna recomendou uma extração externa de 1:1 de metanol e clorofórmio, para usar posteriormente um titulante de 5 mg/L e um solvente que também contenha metanol e clorofórmio. O cliente apreciou a simplicidade do procedimento de extração e seu menu intuitivo de extração externa, que está incluso nos métodos do titulador.

Com este método o titulador solicita ao usuário que introduza o tamanho da amostra, a quantidade de solvente externo, sua concentração (calculada à partir da titulação zero) e o tamanho da amostra a ser extraída. Com base nessas informações, o titulador fornece o teor total de água na amostra, livrando o operador de cálculos complicados que levam ao resultado.

O cliente também apreciou que o titulador usou a concentração titulada do titulante e o teor de água esperado do sobrenadante da amostra extraída, a fim de determinar a quantidade pré-dosada do titulante, economizando tempo e preservando a precisão de acordo com as especificações do equipamento. Com a ajuda de uma placa de aquecimento e agitação, o tempo de extração foi reduzido drasticamente, tornando a análise realmente muito rápida e eficiente.

Siga-nos