8 práticas recomendadas para os Checkers Marinhos da Hanna

Escrito em Postado em Dicas dos especialistas Deixe um comentário.

Testar os níveis dos parâmetros com o seu Checker – como alcalinidade, cálcio, nitrito e mais – pode parecer um processo simples, mas há várias pequenas coisas que podem acontecer durante o teste e afetar negativamente seus resultados.

Recomendamos as práticas a seguir ao utilizar um Checker para garantir que você obtenha os resultados mais precisos, economizando tempo e evitando a frustração.

1. Use uma cubeta limpa

Motivo: os produtos da linha Checker da Hanna são colorímetros, o que significa que eles usam uma fonte de luz – como uma lâmpada LED ou tungstênio – com um filtro e um detector sensor de luz para determinar a absorbância e a concentração de íons. Como os Checkers fazem uma medição óptica, é importante que a luz não seja distorcida por impressões digitais, arranhões, sujeira ou bolhas de ar em suas cubetas.

Correção: use um pano de microfibra para limpar a parte externa da cubeta. Para remover bolhas de ar, bata suavemente na cubeta antes de colocá-la dentro do Checker.

2. Use pipetas separadas

Motivo: o uso da mesma ponta da seringa ou da pipeta para água salgada e doce pode contaminar sua amostra, o que leva a imprecisões, já que um pouco de sal pode ser deixado dentro da pipeta.

Correção: rotule cada ponta da seringa e da pipeta como água doce ou água salgada para que não se misturem.

3. Coloque as cubetas sempre na mesma posição

Motivo: ao usar um Checker, é importante que o comprimento do caminho óptico seja sempre o mesmo para garantir sempre leituras consistentes e precisas.

Correção: coloque uma pequena marca na tampa ou na parte superior do vidro para ajudar a indexar a posição da cubeta no dispositivo.

4. Não deixe que os reagentes fiquem na cubeta

Motivo: deixar que uma amostra reagida fique parada na cubeta por muito tempo pode manchar o vidro. Isso afetará a absorbância à medida que a luz passa pelo vidro, resultando em uma leitura ruim.

Correção: sempre esvazie e lave as cubetas após o teste. O que nos leva ao próximo ponto…

5. Limpe as cubetas com água destilada ou deionizada

Motivo: as cubetas precisam estar livres de possíveis contaminantes antes que um novo teste seja realizado. Lavá-las com água do aquário pode deixar um pouco de material residual ainda presente. As cubetas também devem ser completamente secas ao ar após o enxágue, para evitar qualquer diluição indesejada da amostra ao realizar seu próximo teste.

Correção: sempre esvazie e lave as cubetas com água destilada ou deionizada após o teste. Ao colocar as cubetas de volta no estojo, deixe as tampas abertas.

6. Verifique as datas de validade dos reagentes

Motivo: o uso de um reagente vencido pode fornecer leituras imprecisas ou falsas.

Correção: Crie o hábito de examinar frascos ou sachês de reagentes antes do uso. Para obter melhores resultados, armazene os reagentes em local fresco e seco e evite mudanças drásticas de temperatura. Temperaturas e umidades extremas podem danificar os reagentes.

7. Feche completamente a tampa do Checker

Motivo: qualquer fonte de luz alternativa que entre no Checker pode causar leituras imprecisas ou falsas. O Checker foi projetado para usar uma fonte de luz fixa – como uma lâmpada LED ou tungstênio – com um filtro e um detector de luz para determinar a absorbância e a concentração de íons.

Correção: verifique se a tampa do Checker está completamente pressionada para baixo, para que a luz externa adicional não possa penetrar na cubeta.

8. Corte os pacotes de reagentes ao longo da linha pontilhada

Motivo: cortar o pacote no canto inferior direito em direção ao canto superior esquerdo criará um funil para permitir o derramamento mais fácil do reagente na cubeta. Esse funil também evita o desperdício, o que significa melhores resultados!

Correção: antes de cortar o pacote, bata suavemente nele para garantir que o reagente não está preso no canto que você está cortando. Em seguida, use uma tesoura para cortar ao longo da linha pontilhada.

Siga-nos