Medição de ácido ascórbico com uma reação de oxi-redução

Escrito em Postado em Boletins Indústria Alimentícia, Laboratório, Deixe um comentário.

Além de carboidratos, proteínas e lipídios, o corpo humano necessita de diferentes substâncias para manter uma boa saúde, um exemplo disso são as vitaminas, que são moléculas de que o corpo necessita para funcionar adequadamente. A maior parte dessas moléculas deve ser ingerida na alimentação diária, ou seja, o organismo não as sintetiza, por isso é importante ter uma alimentação balanceada para ter a presença de vitaminas e assim ter uma boa saúde.

O corpo humano requer 13 vitaminas para ser saudável, entre as quais estão a vitamina A, C, D, E, K, B1 (tiamina), B3 (niacina), B2 (riboflavina), B6 ​​(piridoxina), B12, biotina, folato e ácido pantotênico.

O ácido ascórbico ou vitamina C é um poderoso antioxidante que ajuda a prevenir danos aos tecidos a longo prazo. Também contribui para a produção de colágeno, necessário para uma pele, cabelos e dentes saudáveis. No entanto, a vitamina C é mais conhecida por melhorar o sistema imunológico e prevenir diferentes doenças. A deficiência de vitamina C é a causa de uma doença chamada escorbuto, que causa vários problemas de pele, gengiva, queda de cabelo e energia. Dependendo da idade e do sexo, a ingestão diária recomendada de vitamina C deve estar na faixa de 75-120 mg. Boa parte da vitamina C vem de frutas cítricas como goiaba como principal fonte, laranjas, limas, limões e toranjas, mas também pode ser encontrada em outras frutas e vegetais.

Quando essa vitamina não é obtida de frutas e vegetais, pode-se tomar um suplemento de vitamina C que a fornece de forma sintética em uma apresentação nutracêutica, ou seja, em cápsulas ou comprimidos.

O teor de vitamina C em um suplemento nutricional em apresentação nutracêutica pode ser determinado por meio de uma titulação potenciométrica por meio de uma reação redox, onde é necessário apenas inserir o tamanho do analito (o peso do suplemento de vitamina C), seu volume da diluição se houver (volume total do suplemento com água destilada), e volume da alíquota (volume retirado da diluição e qual é a amostra analisada). Usando essas informações, o HI932 compensa automaticamente esse fator de diluição nos cálculos.

Nesta reação, o ácido ascórbico reage com o iodo, mas o iodo é instável por natureza e requer titulações muito frequentes para garantir alta precisão nos resultados, o que consome muito tempo e quantidades desnecessárias de reagentes. O titulante que a Hanna recomenda é o iodato de potássio, que é muito mais estável do que o iodo, e é usado em conjunto com sachês de iodeto de potássio. O iodeto de potássio é adicionado à amostra antes da titulação e, conforme o titulador adiciona o iodato, os dois reagem para formar iodo, que então reage com o ácido ascórbico dentro do recipiente de titulação.

Siga-nos