Diga adeus para os fungos de seu cultivo

Escrito em Postado em Agricultura e Hidroponia Boletins, Deixe um comentário.

A presença de umidade excessiva no cultivo em estufas e hidropônicos é uma das principais causas da aparição de fungos que são transportados por esporos e pelo ar. Embora a atividade de respiração das plantas seja muito necessária e de sua transpiração também gerar certa quantidade de umidade, o controle adequado deste parâmetro no ar contribui para evitar a aparição de fungos que podem colocar em risco a saúde das plantas.

Um dos fatores de risco para a saúde dos cultivos, sejam eles de estufas ou hidropônicos, é a aparição de alguma das muitas espécies de fungos que existem. Basta observar as manchas características causadas nas folhas para identificar um dos tipos de ataque destes organismos patogênicos. A importância do controle de fungos abrange cerca de 85% das enfermidades causadas por organismos prejudiciais, já os outros 15% são enfermidades causadas por organismos virais ou bactérias.

Um sintoma evidente de ataque patogênico é o dano físico. Quando uma planta ou seus frutos estão sendo atacados por algum fungo (por exemplo, o Microsphaera alni), as folhas começam a acumular poeiras brancas. Também se pode detectar uma alteração de cor, suas formas também podem se alterar como resposta da planta contra a enfermidade. Manchas nas folhas são um sintoma típico do fungo Verticillium albo-atrum e V. dahliae. O patógeno que causa a doença não é realmente observado, mas sim os sintomas causados por ele.

Alguns outros sintomas de ataques de fungos são manchas marrons e amarelas nas folhas, no caule, manchas ou poeira branca causada pelo fungo Sclerotinia sclerotiorum, má germinação de sementes, clorose (manchas amarelas nas folhas) e manchas amarelas rodeadas por um tom marrom escuro.

No milho, o ataque de fungos na espiga pode causar uma redução da produtividade e da qualidade da colheita dos grãos. Muitos fungos que causam danos às espigas produzem microtoxinas que podem afetar também seu valor econômico e nutricional (Molin & Valentini 1999). Além de infectar as folhas, em muitos casos o tecido foliar reduz sua área além de produzir maiores quantidades de inóculo sobre as mesmas lesões, que aumenta a possibilidade de infectar a espiga.

Pelo menos no caso de estufas e culturas hidropônicas, existe uma maior possibilidade de erradicação de fungos. A umidade excessiva no ar, nas folhas e no meio de crescimento e substrato pode ser gerenciada para evitar este tipo de doença.

Os fungos se espalham por meio dos esporos que são transportados pelo ar. Os esporos estão presentes no ar que respiramos, e só podem ser evitados mediante um controle mais restrito. Infelizmente este tipo de controle de qualidade do ar só é possível em laboratório mediante o uso de filtros e lavadores de ar que são bastante custosos. Para os profissionais de estufas e hidroponia, existem medidas básicas que devem ser observadas de perto as condições que favorecem a colonização dos esporos e a disseminação dos fungos em às plantas.

  1. Manter a baixa umidade do ar, entre 60 e 80%
  2. Assegurar uma ventilação adequada, mantendo o movimento do ar no jardim, estufas ou cultivo hidropônico.
  3. Retirar qualquer matéria orgânica morta que possa ser fonte de doenças (folhas e caules)
  4. Nunca aplicar irrigação excessiva ao cultivo

É possível tomar algumas medidas adicionais para evitar as pragas de fungos. Essas medidas incluem o uso de pó de enxofre e cobre, no entanto, seu uso requer extrema cautela, porque eles danificam rapidamente pequenas plantas se forem usadas excessivamente. Se o fungo persistir a ser um problema, mesmo quando tomadas as medidas de segurança e manutenção do cultivo, basicamente não haverá outra solução mais efetiva do que o fungicida.

Em cultivos internos de hidroponia e estufas, a umidade excessiva e a condensação permitem a proliferação dos esporos e fungos, por isso é vital manter o ar circulando para assim evitar o excesso de umidade. Quando as plantas crescem muito perto uma da outra, a umidade resultante da transpiração pode cobrir as folhas e proporcionar o ambiente perfeito para o crescimento de fungos. Se a solução de água ou nutrientes respingar no chão, ela deve ser limpa imediatamente.

Para evitar suposições sobre a quantidade necessária de umidade no ar da estufa, e estar seguro de não estar proporcionando as condições ambientais para a proliferação dos fungos, a Hanna Instruments criou os higrômetros profissional HI9564/HI9565, que mostram os valores de umidade relativa do ar do ambiente usando uma sonda com cabo de 1 metro de comprimento, apropriado para abordar a área de interesse, seja nos corredores da estufa ou entre as plantas. Esta sonda também armazena a informações de calibração para facilitar a troca de sonda entre diferentes medidores e evitar recalibrações.

Além de medir a umidade e temperatura, o HI9565 mostra o ponto de orvalho com o apertar de um botão. Também inclui a função de congelamento de leitura em tela para gravar os dados em um registro, e os valores máximos e mínimos são atualizados na memória interna do equipamento. A sonda HI70602 inclui um microchip que armazena os dados de calibração, se são transferidos automaticamente ao medidor que se conectam. Para economia de bateria, inclui a função de desligamento automático após 20 minutos de inatividades.

Siga-nos